Seguidores

domingo, 6 de março de 2011

POEMA QUE TRAZ A CHUVA















POEMA QUE TRAZ A CHUVA
Autor: João Maria Ludugero

Lá vai o menino poeta
A correr pela Várzea a dentro,
Atravessando ruas e becos
Da velha infância levada da breca,
A soltar seus barcos de papel
Que se vão além das águas da chuva
Carregadinhos de lembranças.
E lá vai esse menino travesso,
Levando com ele a enxurrada,
A inocência de verdes sonhos
E um coração demais buliçoso 
Que não se cansa, não pára,
Não se aquieta quase nunca
Nem abre mão de contemplar
A chuva, nela se banhar, ávido,
Correr na chuva da esquina,
Bater uma pelada na Vargem alagada,
Botar os pés na alma, sem cãibra,
Lavar a alma arteira, despertar
Completa mente sem rédeas,
Sem cercas nem cancelas,
Doido pra buscar, de certo,
Na longe linha-travessão do horizonte
A chuva que vai levá-lo adiante,
A discorrer pelo mundo das letras
Numa poesia molhada que contagia,
Que ele tanto aprecia ver escorrer
Sob o equilíbrio dos seus travessos
Pés de moleque afoitos, traquinas,
Que dança com versos
Que pinta e une versos
com suas cores vivas
E prediletas tintas.

5 comentários:

  1. Parabéns!!! Este é você!!
    Zé Grasso

    ResponderExcluir
  2. Descrição perfeita da infância do menino João, na sua terra magnifica, Várzea :)

    ResponderExcluir
  3. Muito legal seu blog e otimo, e muito criativo, se depois vocês quiser olhar o meu blog e dar a sua opnião eu ficarei muito grato: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ahhh MulEkE... Soltando pipa ao vento, jogando bola descalço, usando a bicicleta pra viajar no tempo!!!

    Ahh Menino Ludugero, e que bom que o tempo o trouxe aqui, onde a poesia tua espalha e espelha o momento!!!

    ^_^•

    Bjs ♥

    ResponderExcluir