Seguidores

quinta-feira, 10 de março de 2011

MENINA-FLOR NA GOIABEIRA

MENINA-FLOR NA GOIABEIRA
Autor: João Maria Ludugero

No quintal de dona Rosa 
Tem um pomar repleto de pés
De laranja, manga-rosa e romãs.
Tem pitangas e goiabeiras,  
Goiabas da branca e da vermelha,
Ou seria rosa-goiaba?
Tem roseiras de todas as cores.
Tem hibiscos simples e dobrados
No florido jardim de Maria Orlanda,
Sob o sol laranja do verão.
Recordo da menina faceira, airosa
Com a alma de flor na horta,
Cheirando a água potável de mina
De cacimba cavada no rio Joca.
Lembro-me da trança no cabelo
Entrelaçada com os botões a abrir
Na coroa de pequenas flores
A enfeitar a cabeça da morena,
A me enfeitiçar por entre babados  
Nos galhos da goiabeira, a saculejar
Ousada, de vestido solto, rosado
Ou seria azulado cor de céu anilina?
Essa moleca me deu vertigem! 
Inibida menina bonita, esperta, inquieta,
Nativa da cor do pecado, ardilosa,
Surfando em chinelos de dedo ou descalça,
Trepada na árvore alheia a comer goiaba.
A ela dedico este meu simples poema.
E vou ficando por aqui, boquiaberto
A salivar diante do doce perfume dela,
Derretendo sob o sol a pino, de certo
Esperando o ressereno da tarde amena.
Só queria ser feito um sebito passarinho
Me encantar nas folhagens, afoito, 
Só pra bicar apetitosos frutos.
Desejo apontar meu bodoque
E acertar em cheio, quem me dera, 
Naquela goiaba mais escondida, eita!
Fazê-la cair na minha mão arteira,
De vez ou madura, não importaria. 
Eu só queria ter a alma saciada,
Sentir o néctar, o suprassumo dela.
Sei que ainda é precoce a primavera,
Que logo o vento vai trazê-la.
Na ponta do pé, vou levantar cedo 
Só pra continuar a espiá-la, toda manhosa.
Sei que ainda vou roubar seu coração,
Não topo ser ladrão ocasional, isto não!
Quero namorar aquela menina-moça,
Todo santo dia, isto sim, ah se vou, pode crer!
Tomara que ela me note, ó, meu Deus! 
E perceba quanto bem lhe quero, juro,
Ao deter a sorte, a bem-aventurança, digo 
De que ela me apanhe debaixo da goiabeira.
Vou empertigar minha esperança torta,
Vou deixar o sonho verde me acordar maduro.

5 comentários:

  1. Que delícia viajar nos teus versos...Voooooooooam!abraços,chica

    ResponderExcluir
  2. Que lindo!
    E esta moça é deslumbrante, típica menina do campo que carrega a ingenuidade em seu rosto sereno.
    O que não se encontra nos centros urbanos onde cedo as jovens perdem a inocência.
    bjus

    ResponderExcluir
  3. Olá, Poeta J. Ludugero,

    Adorei seus textos, seus poemas maravilhosos, que fazem a gente viajar. Gostei do seu site, vou ficar aqui, te visitar sempre, seus escritos são magníficos, simples e tão intensos, que tocam a alma e nos levam longe, dentro bem dentro da alma. Que maravilha!!! Nota mil para este seu poema da menina-flor na goiabeira. Amei, amei... Amei! Estou sem palavras. Muito bom passar aqui e ficar assim, totalmente extasiado. Cara, você escreve muito bem! Abraços e até mais!
    Bruno Fernandes Zanatta

    ResponderExcluir
  4. Ai que delicia... Me senti um passarinho a olhar a cena, e encantada, passarinhar nos versos...!

    ^_^•

    ResponderExcluir