Seguidores

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

POEMA À BUNDA

No seco ou no molhado,
Na sala ou na avenida,
Na subida do aclive
Na descida do morro,
Na alameda dando bandeira
Quando ela requebra as cadeiras,
O mundo se bandeia de todos os lados
De frente e verso,
Rebola à torta e à direita,
Podendo até ser feia de cara,
Mas uma bunda é uma bunda,
Tem lá sua suprema importância.   
É uma chama acesa em potência,
Que chama atenção redobrada
Que ao abundar, abunda e pronto,
Não prejudica o conjunto,
Ao causar impressão maravilhosa,
Da primeira à última vista
Nem que seja rebolando à toa,
E ainda mais se dourada pelo sol,
Abundante ao calor do bronzeado
Da cor do pecado ao deleite do dia.
E eu, cá com meus botões, na lida,
Que não sou bobo coisa nenhuma
E tenho lá meu apreço, no fundo,
Passo a contemplá-la num silêncio mudo,
Vou vendo aquilo tudo com alegria imensa.
Já desnudo de vergonha na cara,
Vou apreciando o que a bunda inteligente me dita.
E ela astuta com arte e manha rodopia,
Faceira, insinuando-me a vir vê-la.
Eu venho que venho, mas não me contenho
Ao dar de cara com a bunda, relaxo
E meto a cara na vida, não faço fita,  
Não levo desaforos para casa,
Não vou dar o gostinho dela passar
Em brancos versos! 

17 comentários:

  1. Bem merecido poema num tema onde não abundam.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom!
    Lembrei logo de Drummond
    Um abraço


    A bunda que engraçada

    A bunda, que engraçada.
    Está sempre sorrindo, nunca é trágica.

    Não lhe importa o que vai
    pela frente do corpo. A bunda basta-se.
    Existe algo mais? Talvez os seios.
    Ora – murmura a bunda – esses garotos
    ainda lhes falta muito que estudar.

    A bunda são duas luas gêmeas
    em rotundo meneio. Anda por si
    na cadência mimosa, no milagre
    de ser duas em uma, plenamente.

    A bunda se diverte
    por conta própria. E ama.
    Na cama agita-se. Montanhas
    avolumam-se, descem. Ondas batendo
    numa praia infinita.

    Lá vai sorrindo a bunda. Vai feliz
    na carícia de ser e balançar.
    Esferas harmoniosas sobre o caos.

    A bunda é a bunda,
    rebunda.


    Carlos Drummond

    ResponderExcluir
  3. ... Ah! A BUNDA!!! Fique sem ela e verás a falta que a mesma faz!! Certo está você de ir ao seu encontro!! Fantasias são para serem vividas e usufruidas! Abundo-me em elogios ao seu excêntrico poema!Abraços, Célia.

    ResponderExcluir
  4. Digamos que bem brasileiro!
    Um grande bj

    ResponderExcluir
  5. É a nossa tão amada BUNDA, vai com nós a todos os lugares e sempre está suportando o peso do nosso grande corpo.
    Apesar de ser meio incomum, eu gostei muito, João, você escreve bem.

    Espero te ver em meu blog.

    ResponderExcluir
  6. Realmente tu entendes mesmo de poesia e não tem tema difícil para que escrevas com maestria: nem a bunda escapa. E ficou uma maravilha seu poema à bunda! Belíssimo. Gostei demais. E que alegria poder vir aqui me deliciar com sua poesia. Forte abraço e que tenhas abundância de dias felizes, abundantemente. Risos! Te adoro.
    Rosemary Mendonça Chaves,
    Bancária.

    ResponderExcluir
  7. P.Q.P!
    Que delícia de Poesia!
    Simplesmente ADOOOREI!
    Muito bom texto à BUNDA.
    És um grande escritor.
    Beijaço,
    Dênia Fontinelli

    ResponderExcluir
  8. Esse poeta vai longe!
    Esse cara vai fundo!
    Gostei demais do seu poema da bunda.
    Manda ver, poeta! És uma maravilha com teus textos nota dez! Parabéns!
    E viva a bunda da dona Raimunda que é feia de cara... Abraços,
    Jurandir Neiva Salles,
    Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  9. Quem vê caras não vê bundas!
    Poema inteligente! ADOREI. Muito legal.
    Já te sigo poeta João Ludugero. Abração.
    Kelson Nunes Vieira,
    UniCeub - BSB-DF.

    ResponderExcluir
  10. Uma bunda é sempre uma bunda...seja como for, tem sua valia! Seja da esquerda ou de direita, seja torta ou perfeita, todas têm suas alegorias. E as inteligentes, ah, as inteligentes estes tocam a vida de frente, de lado e de banda... Uma bunda é uma bunda, é um conjunto de alegria com duas bandas a requebrar as loucuras da vida. Que coisa boa é viver, de caras e bundas. Depois a terra vai comer tudo mesmo. Então, porque não aproveitar o agora!
    Valeu poeta, pelo belo poema à bunda!
    Sou teu fã. Já te sigo com bunda e tudo o mais.
    Abraços,
    ÍCARO JOSUÉ DE SOUZA,
    Brasília-DF.

    ResponderExcluir
  11. Menino poeta lindo de viver, o que que é isso? Que texto bom acerca da BUNDA! Adorei sua bunda, digo seu poema. Aliás, você poeta deve ser gostoso de qualquer lado, de frente e verso! Te curto de montão. Você é mesmo uma loucura, um tesão de viver! Sabia? Sou arreadinha por sua poesia. Seu blog é nota mil! TE ADORO!
    Beijaço,
    Maria Conceição Moura Bento,
    Estufante de Psicologia.

    ResponderExcluir
  12. Sou suspeito em falar, pois adoro uma bunda!
    Tem coisa mais linda que Deus fez no mundo do que uma bunda? Adoooro! Não tenho vergonha de dizê-lo, de admirar uma boa bunda. Tô de cara com seu poema. Muito bom mesmo! Parabéns!
    Jânio Mendes,
    Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  13. Você é mesmo fã de uma bunda! Pra escrever assim deve ter lá sua bunda preferida. Belo texto. Mais uma grande homenagem à essa anatomia que Deus criou para fazermos com ela muitas cabeças. O que a bunda não prejudica: a inteligência e o prazer de fazer bem feito um poema assim com todo desbunde! Adorei, tu és único! hiper abraço.
    Você escreve gostoso demais. Uma delícia de ler!
    Parabéns, menino levado da breca!
    Vívian Maria Nepomuceno,
    Historiadora.
    Até mais! Tô te seguindo!

    ResponderExcluir
  14. Por aqui não 'Abunda' muito....,é mais coisa de
    brasileiro...não...??
    Abraço

    ResponderExcluir
  15. Tardio; mas vim para agradecer-lhe a visita, Pelos textos que li, pondo apenas como referência esse, ao meu olhar Carioca é o que mais irreverência 'Abunda', não poderia deixar de cumprimentá-lo pelo excelente trabalho em prol da poesia, qual exerces aqui. parabéns poeta.

    José Silveira

    POESIA - www.palavrasdepoeta.blogspot.com
    CONTOS - www.contei-porai.blogspot.com
    MÚSICA - www.sambaepoesiazesilveiradobrasil.blogspot.com
    ARTES PLÁSTICA - www.wix.com/jcsrio/contempory-arts-by-bozott

    ResponderExcluir
  16. Tomei a liberdade de transcrever seu poema (que adorei) 'in medio' a texto meu, com os devidos créditos e links, nos seguintes endereços: (1) http://www.recantodasletras.com.br/eroticos/4017832 e (2) http://eroticcommecicommeca.blogspot.com.br/p/y-bunda-piranha-as-serventias-da-bunda.html. Caso se sinta prejudicado por favor me avise que excluirei... Aceite os parabés pelo blog e lindos textos...



    ResponderExcluir