Seguidores

sexta-feira, 9 de abril de 2010

VÁRZEA, 36°
 
o sol está mais perto
o sol está a pino
o sol está sempre lá
o calor no batente
o sol está quente, ardente
com toda razão 
duvida o padeiro
teria a vida se tornado 
um inferno no Vapor
ou estaria o forno da padaria 
mal regulado?
 
tempo quente
diga-me lá, oh, seu Plácido Nenê Tomaz,
diga-me lá, oh, Tomaz Neto,
quando é que São Pedro apóstolo
vai derramar aquela chuva
para fazer ainda mais florida a nossa Várzea?
 
autor: João Ludugero 

2 comentários:

  1. QUE CALOR DE POESIA, QUE TEMPERANÇA, QUE DELÍCIA DE FAZER POESIA... ADOREI ESSA!!! ALIÁS, TUDO QUE VC ESCREVE É BOM DE SE LER, É COMO SENTIR E VER COR NAS PALAVRAS. VC TINGE DE BELO SEUS VERSOS SIMPLES.
    UM ABRAÇO, AGORA SOU SEU FÃ, DE CARTEIRINHA. DESCULPE-ME PELA INTROMISSÃO, SEM CONVITE, MAS ADOREI TUDO NO BLOGUE, ADOREI ENTRAR NESSE BLOGUE.
    JUSTO EU QUE NÃO ERA MUITO FÃ DE LER POESIA. MAS A SUA ME CONVENCEU A GOSTAR MAIS DE LER, É COMO UM ALENTO PARA O ESPÍRITO.
    ATT,
    JOSEPH ÁLVARES CATANHEDE - ASA NORTE - BRASÍLIA
    PROFESSOR DE DIREITO - UniCEUB..

    ResponderExcluir
  2. Placido Tomaz de Lima Neto5 de maio de 2010 10:58

    Ahhh...que bom ver esse poema!Estou inserido nele!

    Se já era seu fã, agora sou muito mais!

    Abraços!

    ResponderExcluir