Seguidores

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

CASCA GROSSA


Abertamente confesso:
quando me desnudo
eu sou eu mesmo
sem alarde,
descasco o verbo,
arranco as folhas 
do que seja imposto,
com a barba de molho,
não me ocupo em dar a outra face,
dispo-me de pensares alheios
Observo meu eu, atento,
à torta e à direita,
de todos os lados
de frente e verso
de banda e de bunda
revelo para o mundo inteiro,
reviro a página, de súbito,
da vergonha que não tenho
de ficar nu, exposto
de cabo a rabo,
despido de medos e tédios,
e me enxergo assim arteiro
em momento cabotino, sim,
e até que me vejo bonito, em pelo,
confiante no meu próprio espelho
eu faço minha história, de fato, 
e hoje digo sem titubear
aos bobos da corte, de plantão:
Há tempos guardei 
minha timidez na sacola.
E a poesia que ora me arde em ávida chama
é que me pega assim bem apanhado,
a coragem que aprendi na escola da lida,
a que me instiga a cuspir na cara 
de quem queira só me ver pelas costas.

16 comentários:

  1. Interessante, forte e vero...como gostaria de ser assim, me desnudar por completo...Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Beatriz Prestes da Casa da Poesia disse:
    A vida é breve e linda demais para vivermos com amarras... pior as amarras que nós mesmos nos colocamos!!
    Show!
    Bea

    ResponderExcluir
  3. Comentário de Maria do Rosário Araujo,
    direto da Casa da Poesia:
    Eitaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!
    Um escãndalo seu poema!
    Um escândalo de bem escrito, bem colocado e bem desabafado...
    É pra isso que serve a poesia...pra desnudar-nos....
    PARABÉNS, POETA!
    Maria do Rosário

    ResponderExcluir
  4. GRAÇA TRISTÃO disse:
    João, Parabéns pelo poema e pela "coragem" da imagem é difícil de se ver imagens assim em poemas escritos por homens, ficou perfeito em teus versos "de cabo a rabo"... muito bom mesmo!
    Paz e Luz em teu coração
    Bjcas
    Graça

    ResponderExcluir
  5. Comentário de Nivaldo Ferreira,
    da Casa da Poesia:
    " E a poesia que ora me arde em ávida chama
    é que me pega assim bem apanhado,"
    Sublime frase.
    Infelizmente, à nossa frente, existem certas pessoas
    que se acham muito certinhas. Porém, no entanto... Hehehehe...
    O seu poema aliado à imagem, está belo. Não é pejorativo, é simplesmente artístico. Aplausos mil sempre nobre poeta!
    Nivaldo

    ResponderExcluir
  6. Irene Duarte (Casa da Poesia)19 de janeiro de 2012 02:48

    Comentário de Irene Duarte,
    Um poema que faz a diferença
    com atitude e muita verdade!
    A mais pura arte.
    Arte pura, como diz o Nivaldo..
    Abraços, Irene

    ResponderExcluir
  7. Comentário de Wagner Marim
    da Casa da Poesia:
    Gostei, João.
    Sincero e verdadeiro.
    Grande abraço.
    Wagner Marim

    ResponderExcluir
  8. Olá, comente com a gente!
    Minha política é a alegria e seu comentário é sempre bem vindo. Trocar informações, experiências e sorrisos é nosso grande objetivo. Tenha um ótimo dia! Abraços, João.

    ResponderExcluir
  9. Carlos Heitor Louvato Albuquerque19 de janeiro de 2012 11:44

    Poeta João Ludugero, sabia que mesmo sem te conhecer pessoalmente, eu tenho o maior orgulho de você? És para mim motivo de muito orgulho, pois fico feliz só de poder vir aqui para ler o que escreves! És único e tem uma poesia fascinante. Lá em casa, minha esposa e filhos não ficam mais sem te ler, todos os dias. Viciamos no teu blog que é o máximo! Forte abraço.
    Interessante foi ouvir minha filha me dizer: pai, a poesia do João nos envolve e nos faz gostar mais da gente mesmo. E até quando trata de nudez sabe fazê-lo com classe e apresenta a mais pura arte. És um poeta completo. Isso que é motivo de orgulho.
    Att,
    Carlos Heitor Louvato Albuquerque,
    Engenheiro Civil - Microempresário
    ENGECIR MULTIPLEX

    ResponderExcluir
  10. Blog muito lindo,
    belos poemas e belas imagens!
    PARABÉNS!
    Tua nudez é de pura arte.
    Walcyr Emanuel Barros,
    Professor

    ResponderExcluir
  11. Noel Hermínio Soares Lisboa19 de janeiro de 2012 11:49

    Como ter vergonha de ser livre?
    Tua poesia é alinhada em moldes do mais fantástico poetizar!
    Muito bom gosto e arte, pura arte. Só tenho a parabenizá-lo por trabalhos tão lindos e bem feitos.
    Abraços,
    Noel Hermínio Soares Lisboa
    São Paulo - SP.

    ResponderExcluir
  12. Isso é que é bunda! E que poesia! Tudo muito lindo! Este poeta é mesmo estupendo de bom com sua poesia sensacional!!!
    Abraços,
    Mara Noely Di Carli

    ResponderExcluir
  13. Fantástico!!!!
    Chico Inácio Loyola

    ResponderExcluir
  14. Vamos tirando a máscara da hipocrisia e tirar o chapéu para o belo, seja homem ou seja mulher, a arte é isso aí, a nudez sem frescuras nem falsos moralismos. Parabéns, poeta! Tua poesia é realmente muito bela. Loas!!!
    Bravo!!!
    José Arthur Mendes,
    Sociólogo

    ResponderExcluir
  15. Adoro bundas!!! E poesia nem se fala, amo!!!
    Bety Lino Morais

    ResponderExcluir