Seguidores

domingo, 29 de maio de 2011

PANACEIA

EU CAREÇO URGENTE DE UM FRUTO SEM A PECHA DE PROIBIDO  (Sem  neuras,  antídotos  ou  papas  na  língua)
Autor: João Ludugero
(Ilustração: Jardim das Delícias - Bosch)

 Eu careço urgente de um fruto
Sem a pecha de proibido,
Que me encete a arder
A alma antes do estanque,
Que não me extinga a sede
Em promessas mirabolantes,
Que não me faça estátua de sal
Ao olhar para trás,
De súbito,
Que não somente
A pena me adocique, 
Que não me cure só pra ser
Mais um simples mortal.
Laico ou lascivo, eu preciso me pintar
Ao pintar o sete no arco da tua íris, de certo
Abortar nossoutros medos reticentes, 
Deixar o diabo de quatro pasmado
A se perder num raio que o parta ao meio,
Fazer o danado sentir-se insignificante,
Encurralado ao ponto de se sentar
Contorcendo-se em cima do próprio rabo.
Mas nem por isso, vou deixar 

De degustar a maçã,
Vou esculachar a serpente, de vez,
Apertar suas presas num cadinho,
Instilá-la a  provar do próprio veneno,
Macerando toda essa ideia de pecados.

 Comê-los sem culpa, assim e assado,
Com temperança, afastar os ranços.
Rasgar o verbo e a escrita,

 Oito ou oitocentas vezes, se for preciso.
Virar o mundo de ponta à cabeça
Só pra provar de todos as delícias, 
Sem juras nem dietas, de modo
A transitar entre opostos, a gosto
Mesmo que ao fim do juízo diverso
Venha o apelo à sentença imposta.
Quero me permitir agora-já, sem frescuras,
Ser lúcido, louco, ávido, sem placebos,
Até que a vida me detenha impávido.
Justo eu que há tempos não me embriago,
Aqui botei pra rasgar na dose, 
Sem chicoteamentos,  
Me escancarei a entornar 
Conscientes licores,  
A me embriagar em tragos de Poesia.
Poesia que me faz esquecer
De morrer tão cedo,
Que não me deixa à mercê
De nenhum cianureto,
Muito menos dos frascos de estricnina
Que a tal moça suicida largou lá em casa.
Se é pra viver,
Que me venham os cabelos brancos
Deixa eu morrer de velho!
De preferência a me lambuzar inteiro,
Sem neuras, antídotos ou papas na língua,
Quero ser arauto verbal dessa força
Que jorra aos quatro cântaros 

E não se prostra
Ao arranhar o céu da tua 
Boca nunca insossa,
Quando esplêndido me deleito
Na panaceia do teu colo,
Apreciando o fruto
Não proibido do jenipapo.
Eu completamente embriagado,
Mas de Poesia,
Por todos os lados.

29 comentários:

  1. E vai subindo nas árvores da vida, colhendo uns, provando outros...e se embriagando de poesia!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo blog. Já estou te seguindo. Também escrevo poesias esporadicamente entre uma crítica e outra. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Muito obligada. (¿Se dice así ?) Bueno que, Gracias per tu visita a mi blog y te seguiré de cerca.
    Un saludo ¡¡

    ResponderExcluir
  4. Oi amigo
    Com certeza irei seguir sim o seu blog e se puder siga o meu, divulga-o, assim como irei divulgar o seu.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Que haja sempre poesia....
    Que as palavras brotem....
    Obrigada pela visita
    Até já
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderExcluir
  6. Toda maravilha da Poesia reunida num blog fantástico, lindo, lindo! Tudo aqui é bonito demais! O poeta João Ludugero é lindo, lindo, lindo... Olha aqui gente, que gataço, e ainda faz Poesia!!!! Beijos, Anne Belisário Sienna.

    ResponderExcluir
  7. Eu também adorei vir aqui. Tanto que não mais arredo o pé daqui. Sou fascinada em Poesia. E as poesias do João Ludugero me conquistaram, muito.
    Fazia tempo que não achava algo assim, tão bom de ler, reler, degustar em sua admirável originalidade e beleza. TE AMO, poeta! Valeu!
    Voltarei daqui há pouco para te ler mais... lol!
    Ruth Norma Cabral Gonzalez

    ResponderExcluir
  8. Sua poesia é inebriante! Estou lendo em doses, mas já embriagado com tanta beleza em forma de palavras benditas. Estranha e bela a sua PANACEIA. Gostei mesmo. Onde buscas tanta imaginação?! Abraço grande,
    Murilo Mendes Dartagnan

    ResponderExcluir
  9. Ludgeramigo

    «Eu completamente embriagado,
    Mas de Poesia,
    Por todos os lados.»

    É bonito; eu sou mais para a prosa, mas é bonito.

    Encontrei-te através de … «o meu vizinho é pior que o teu» da nossa Amiga M.
    Gosto muito dela, damo-nos excelentemente, e portanto vim até aqui. E gostei, sinceramente gostei.

    Se não gostasse também o dizia. Sou um «pão, pão, queijo, queijo», ou seja um desbocado militante.

    Peço-te, entretanto, (não são €€€€, que estão muito caros e raros) que visites a minha Travessa que também passará a ser tua. Obrigado

    Abç

    ResponderExcluir
  10. "Eu completamente embriagado,
    Mas de Poesia,
    Por todos os lados."
    e sem ela nada seria tão doce! rs
    Linda poesia,relaxante :)
    Obrigada pela visita,encantador teu espaço.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. NÃO É PARA PUBLICAR:

    Caro seguidor de Assiria

    Há uma semana que não consigo aceder aos meus blogues.
    Sempre que o abro não me surge sequer a funcionalidade de LOGIN. Tento logar-me pelo www.blogger.com surge-me sempre a mensagem de password errada quando eu tenho a certeza absoluta que está correcta, ademais estava memorizada.
    Já pedi recuperação de Passe. Ainda assim nada.
    Já alterei a conta, ainda assim nada também.
    Recorri ao centro de ajuda bloguer e verifiquei que diversas pessoas se queixam do mesmo! Todavia nenhuma resposta que apresente solução.

    Não faço a minima ideia como ultrapassar esta questão ou se a vou conseguir ultrapassar; sinceramente já estou a sentir-me lograda. Acho inadmissível, que não haja uma via sem ser robótica que se possa recorrer para solucionar este tipo de obstáculos, mais a mais quando tenho a certeza absoluta que são anomalias do próprio blogger.

    Se assim continuar ver-me-ei na contingência, de envidar todos os esforços, para apagar os blogues. Pois, preocupa-me que uma coisa que considero da minha criação esteja nesta altura completamente fora do meu domínio.

    Face ao exposto, vi-me na contingência de abrir um novo blogue apenas e somente para informar os meus seguidores assíduos e que muito estimo, desta ocorrência. Todavia face à decepção do que se está a passar não irei publicar nem utilizar.

    Estou inteiramente ao dispor e sempre através do e-mail soprodevidasemmargens@gmail.com.




    Um beijinho (triste ..triste)
    Da
    Assiria
    e
    Blimunda

    ResponderExcluir
  12. Olá amigo!

    Venho agradecer seu carinho!

    Estou conhecendo seu espaço muito bom!

    Espero voltar a vê-lo no Alma!

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  13. viver, e viver intensamente, pintando o sete, e desenhando o oito!

    fico lisonjeada que tenhas gostado do meu blog!

    ResponderExcluir
  14. olá adorei seu blog muito legal..
    parabéns já estou seguindo se vc poder me seguir agradeço beijos..
    http://novidadesdamaroka.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Menino do céu!
    Vc escreve muito...gostei de vc e das tuas escritas...te espero por lá tá!
    Bjs para aquecer teu blog!

    ResponderExcluir
  16. Amei os frascos de cianureto....fora da vida, claro! e dentro do seu poema... Tu escancarou mesmo! Adorei...

    bjs

    Catita

    ResponderExcluir
  17. "quero me permitir agora-já, sem frescuras,
    Ser lúcido, louco, ávido, sem placebos"

    é como dizer de novo eu quero este dia na palma da mão,
    eu quero estes verbos aí espalhados
    pra te erguer um bouquê deles.
    pra te fazer cheirar e sentir o sabor deles saltando da minha boca...

    tenha um bom dia, caro amigo poeta.

    ResponderExcluir
  18. Moço, que lugar é esse? Ainda estou boquiaberta com tanta beleza, contrastes, emoção, força, enfim... poesia divina...

    Fico por aqui a te seguir...

    Obrigada pelo carinho no meu cantinho. me fez feliz... Volte sempre, a casa é sua!

    Um abraço carinhoso poeta! Su.

    ResponderExcluir
  19. Já sabes amigo; fico "invejoso"....mas também deliciado!
    Um Abraço

    ResponderExcluir
  20. ....Mas nem por isso, vou deixar
    De degustar a maçã....
    Então, deguste a maçã, a poesia, a vida, em tragos lentos e rápídos, saboreando cada sabor, gosto, instante que elas te darão.
    Poema super demais. Novo Layout, idem. Adorei.
    Bjussss
    Sil

    ResponderExcluir
  21. Ti ringrazio per l'invito al tuo blog... purtroppo non conoscendo la tua lingua non posso apprezzare a pieno le tue poesie... però mi piace la musicalità della tua lingua
    A presto

    ResponderExcluir
  22. No teu caso nem é tanto pelos lados...É lá bem do interior. Das tripas mesmo...

    Mas isso é o que eu acho:)

    ResponderExcluir
  23. Os seus poemas são um capricho de versos. Yayá.

    ResponderExcluir
  24. Eliana do Palavras que abraçam!1 de junho de 2011 17:21

    Deixei um recadinho lá para você. E como amanhã é um dia especial, quero pedir, que volte e escreva qualquer coisinha, ficarei super feliz!
    Amanhã, tá?

    Tenha uma ótima noite, um abraço.

    ResponderExcluir
  25. Aplausos! Aplausos! Aplausos! Adorei.

    ResponderExcluir
  26. Adorei seu blog.

    Amei tudo que li aqui.

    Voltarei sempre que puder...

    Se quiser, dá uma passadinha no meu também...

    Quem sabe não gosta e fica.... 

    http://cristalssp.blogspot.com

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  27. Uma liberdade total, isso é ótimo. vlw

    ResponderExcluir
  28. Ai que amo demais!!!!!!!!!!!! Lindo isso Ludu ♥

    E para de ser bobo, viu?! fik me deixando sem jeito e toda faceira, qse flutuando feito boba na minha cadeirinha do pc!!!! ^_^•

    Brigada por tanto carinho, meu lindo...

    É totalmente recíproco, por isso sempre lembro de ti... Mil beijoks viu?!

    E mais uma vez, que poesia lindaaaaaaaaaaaaaa...

    ResponderExcluir