Seguidores

quinta-feira, 30 de junho de 2011

"O BARBA-AZUL"

Eu careço ir ao fundo do poço,
Quero ir com o balde
Dependurado
Descer junto à corda da roldana.
Quero ir chafurdar
A água lá no fundo,
Bem lá do fundo do fosso,
Sentir a tempestade alta a passar
A ganhar outros ares e se evolar
Nas asas da ventania.
Que venha o turbilhão, de súbito,
Mas que seja único, sem túnica.
Que me encharque toda alma troncha.
Mas depois me traga de vez a calma,
O fio e a meada a arrematar os acordes
Do meu coração desalinhado em dó.
Tudo por culpa de mais um amor que matei,
E que ora me deixou de queixo caído,
Boquiaberto, até botei a barba de molho.
Mas fazer o quê, me diga, se outro vai chegar?
E assim vai pintar outras cores,
Porque esse danado do amor,
Apesar das perdas e danos,
Vale a pena vivê-lo de novo,
E por ele, tantas vezes, perder a cabeça.
Acho até que esse danado do amor
Tem muito mais que sete vidas.
E haja fôlego!

28 comentários:

  1. o amor é isso... respirar ,mergulhar, e voltar..
    gostei!
    beijos perfumados..

    ResponderExcluir
  2. Olá, poeta João Ludu, Você é o cara!
    É isso mesmo o amor não é uma coisa assim perfeita e acabada... Tem horas que nos deixa de cabeça quente, de barba de molho, a arrancar os cabelos! Mas a gente tenta de novo, quem sabe um novo amor, após a morte de um, nasce outro... E mais outro, e mais.... até que se finde enquanto dure! É isso. Adorei sua saída: belíssimo poema. Viva você, poeta! Viva o amor... Vale a pena!
    Hiper abraço,
    Solange Freitas Neves

    ResponderExcluir
  3. Sempre vale a pena, por mais que doa, a gente volta a sorrir.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderExcluir
  4. Menino poeta- pequeno gigante verso!

    Que lindo, menino Ludu!

    Saudades me trazem de volta, que jamais esqueço de ti, viu?!

    ResponderExcluir
  5. Oi João, só em falar a palavra amor, já nos da uma coisa boa. Então, temos mais é que viver o amor, temos mais é que amar o amor! Mesmo que o danado venha de outras cores rsrs... ame, ame, ame!

    Fica com Deus, tenha um ótimo fim de semana!!! Beijos

    ResponderExcluir
  6. Vinícius era assim, vários amores e todos em um só coração. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  7. Oi João, Tô voltando aqui pra ler as novidades. Adorei esse texto. O amor é mesmo surpreendente, as vezes turbulência, as vezes calmaria, mas nunca desistência. Eu volto. Um bj carinhoso.

    ResponderExcluir
  8. Ah, o amor, sempre o amor a nos surpreender com seus altos e baixos, com suas nuances e artimanhas... Mas, apesar das dores e do dó que dá nó no coração em desalinho, vale a pena sempre tentá-lo, mesmo assim, aos raios e trovoadas, indo até o fundo do poço... A gente acaba se levantando e fazendo novo amor acontecer... Eita bichinho mais travesso o amor, volta a incomodar até amordaçado! E todo mundo quer de novo amar... Até nascer um novo amor, depois daquele que foi enterrado, o amor renasce, vivinho da silva, em outra cara metdade ou inteira figura. Pense nisso. Gostei do seu poema breve e bem bolado.
    Rui Hernandes Guerra Porto
    Escritor - Juiz de Fora/MG.

    ResponderExcluir
  9. Que beleza de poema... sobre o AMOR.
    Tudo acaba sarando dentro do coração... Até a morte de um grande amor. Fica a amizade, um vínculo que nunca se corta, se laço ficou.
    Grande poeta, este menino potiguar, um cara de uma mente mega iluminada e um coração muito bonito. Parabéns!Adorei seu texto. Você sabe dizer das coisas do coração... Abraço,
    Lívia Patrícia Gonçalves

    ResponderExcluir
  10. Dá vontade de pegar você pra ninar! De tão gostoso que sabe escrever... E ainda é essa fofura de pessoa linda! Eu queria alguém assim pra levar às alturas, me tirar do marasmo que bate em minha porta. Tenho tanto medo desse negócio de amar!!! Mas fazer o quê se a gente se sujeita a essas coisas por vontade própria? Procuro fazer da má sorte momentos de nobreza e acabo dando a volta por cima! Entendeu, poeta? Obrigado por escrever coisas tão bonitas. Gosto de vir aqui, para desopilar.... Beijaço,
    Sônia Maria Gastão de Andrade
    Porto Alegre/RS.

    ResponderExcluir
  11. Eu queria morrer de amores, mas não nos braços de qualquer um... Tinha que ser alguém bem especial, assim feito você! Juro que não iria sentir nenhuma dor, pois sua poesia me anestesia a alma. TE ADORO!
    Anna Sales Betencourt

    ResponderExcluir
  12. Você escreve muito gostoso. Também é uma delícia vir aqui te ler. Sabes ser gostoso de viver!
    Belíssimo poema. Em poucas palavras disse tudo!
    Beijos,
    Leide Mello Bastos

    ResponderExcluir
  13. Oi Luduzinho querido sumidinho do meu coraçãozinho kkkkkkkkkkkkkkkkkk amigo amanhã começa a 1ª fase do 5º Pena de Ouro e estou te esperando no ostra, e falando em Ostra ainda não fostes buscar o selo Blogs Poéticos, nem o selo participação deste pena... também te convidei a participar com uma das tuas poesias e tu fez ouvidos moucos.. VIXE COMO ESTOU BRIGUENTA kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk beijos no coração meu lindo e te espero no ostra!

    ResponderExcluir
  14. Palavras, Palavras!!!

    O que adianta tanto AMOR se não sabe aproveitar o tão falado AMOR!!!

    Amor em verso e prosa e lindo mas no dia a dia
    são outros quinhentos!!! Mas tenho certeza que lutei que tirei suco de pedras mas tudo em vão!!
    Uma relação e para ter bondade e generosidade para com o outro,pense nisso!!
    Muito fácil em trocar de roupa mas não adianta nada porque o manequim e o mesmo!!!
    JAG - BSB DF

    ResponderExcluir
  15. O Amor tem dessas cores.
    Ninguém é culpado dele ter dado certo ou errado.
    Amar só se sabe amando... E se alguma coisa se quebra, mesmo assim terá valido a pena. Acho até que ninguém deveria fazer essa ou aquela cobrança, assim ou assado, porque a gente não deve nunca se arrepender de ter amado.
    Apesar dos pesares, ainda vale a pena amar.
    Muito bom o texto. Perfeito teu blog, cheio de coisas boas parabéns!
    Tô te seguindo, já!
    Wilma Veras Gaetano.
    Psicóloga.

    ResponderExcluir
  16. Palavras, palavras! em se falando de AMOR...

    Realmente, sim! Não sou perfeito, não busco isso, mas tenho defeitos que me tornam único.
    Não pretendo ser tão generoso a ponto de me anular. Nasci torto, por mais que tenho tentado, não tem jeito: sou incorrigível.

    A esta altura do campeonato, não há como alterar meu passe. Não é fácil adaptar-se a isso. Sou difícil e complicado, portanto, prefiro seguir, certo ou errado, meu caminho, "eu-tentando-me-suportar".
    A culpa não está no outro, mas em mim. Se há um culpado, esse alguém sou EU!
    Se é difícil de entender a cabeça de um poeta,
    imagine decifrar seu coração... É de tirar água de pedra! Mas dever haver quem consiga... Água mole em pedra dura, tanto... há quem desista. Mas é a vida!
    Que sejamos todos bem felizes!
    São os meus votos.
    João.

    ResponderExcluir
  17. É fato:
    Quem ama não sabe porque ama.
    Apenas ama. Ama sem olhar os defeitos nem as qualidades. Não pensa em bondade, muito menos em generosidade. Ama-se incondicionalmente.
    Coração é terra que ninguém manda. Quando ele ama, sai de baixo, entranha. Fica dentro, batendo no sangue, na carne do coração.
    E pensando bem, quem quer saber?
    Nunca me arrependo disso: amo! Mesmo se tiver que me atirar no poço, tentar me afogar depois... Será depois. Quero amar primeiro, sem nunca me arrepender de nada. Nem de palavras, palavras. Beijos mil,
    Carla Di Paula Soares.

    ResponderExcluir
  18. Do Amor, das palavras e do silêncio...

    Muitas vezes, o silêncio é mais esclarecedor que um fluxo de palavras.
    O Amor consegue muito bem tudo o que quer sem dizer nenhuma palavra.
    Não adianta fazer longos discursos para expressar os sentimentos do coração.
    Até mesmo um olhar apaixonado diz muito mais que um jorro de palavras.
    Márcio Ramos Albuquerque
    Brasília-DF.

    ResponderExcluir
  19. João,meu amigo,estou sumida,também estás,estamos
    quites...Belo o teu poema,ame sim bastante(em amor nem existe bastante)e ria,chore,aproveite até a última gota este sentimento que nos traz VIDA...Quem te fala ë uma pessoa de setenta anos,que amou muito e nunca se arrependeu disto...
    Vou sortear um pensamento para ti tal qual uma Buena Dicha de outrora.Lá vai:
    "UMA DEMORA PODE SE MOSTRAR MAIS BENÉFICA DO QUE PRESSIONAR A REALIDADE PARA QUE AS COISAS ACONTEÇAM.ATRASAR-SE TRAZ CONSIGO ANSIEDADES.É MELHOR PAGAR ESTE PREÇO DO QUE O DO FRACASSO."

    Bjssssssssssss,Leninha

    ResponderExcluir
  20. Olá Poeta...

    O gostoso de viver a vida com toda plenitude é ter a consciência de possuirmos uma fonte de amor, advinda de nosso interior; que não se desgasta,nunca, não seca nunca, ainda que sofra pela dor de um amor desgastado,mal nutrido; se recupera e lá tá "de novo" em novas paixões, novos amores...e se pega novamente apaixonados...
    Lindo teu texto!
    Feliz fim de semana !
    Bjs
    lecyns

    ResponderExcluir
  21. Que ritmo gostoso de ler *-*
    E haaaja folego!

    ResponderExcluir
  22. Boa noite, passando para te pedir um favor, pode ser? Então...voce pode me fazer um favor? Entre no meu http://meumodosuavedeescrever.blogspot.com, la voce clika num selinho "TROVADOR LIRICO", vais entrar no blog.OSTRA DA POESIA, tem uma porta marrom, que abre e fecha, entre nela e veras meu poema: O poeta...seus rabiscos...agora, va no final da pagina e envie uma mensagem votando no meu poema, pronto! Obrigada e sempre estarei a te visitar...BJIN em seu coração!

    ResponderExcluir

  23. Boa tarde!
    Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus.
    Sede, pois, misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.
    Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltar-vos-ão. (Lucas 11:35-37)

    Que sua semana seja abençoada e de muita paz!

    Deus seja contigo.

    Blog Yehi Or!
    www.hajalluz.blogspost.com

    ResponderExcluir
  24. O seu blog é fantástico! Ainda não consegui formar uma opinião completa sobre si... Ainda não li tudo, mas do que li, está óptimo!!! Muitos parabéns e, obrigado por partilhar connosco a sua arte!
    Se me permite irei seguir o seu blog.
    Atenciosamente,
    Carlos Leite, http://opintordesonhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  25. O tempo nem sempre cura, na minha opinião, sabe por quê? Porque tem dores que independem do tempo, da geografia, do espaço; são dores dos sentimentos, tempo nenhum apaga, mesmo que distantes estejamos do objeto "nocivo".
    Abraços. Excelente texto!

    ResponderExcluir
  26. Olá, poeta! Boa tarde!
    Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente.
    A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração.
    Anne

    ResponderExcluir
  27. Caro poeta,

    Não é o amor uma arte? Feita de assombros e descobertas? A mais difícil arte, que nos poetas insistimos na eterna busca em tentar através das palavras escrever-lhe as diferentes formas?
    Sete vidas de gata tenho e tantas outras como mulher, então sigamos nossa busca.

    Parabéns pelo BLOG e a mim por descobri-lo entre tantos.

    Saudações literárias,

    Anna Amorim

    ResponderExcluir