Seguidores

terça-feira, 18 de outubro de 2011

PRA' TODO DIA: CORAÇÃO A PASSARINHO


O ovo do pintassilgo
Fecunda o tempo...
O pássaro das horas
Mergulha fundo
No açude da memória.
Ensaia um voo rasante 
Da velha infância à maturidade,
Só para trocar as penas.
Depois, abre os olhos
Para fugir do alçapão
E do abate das pedras de atiradeira.
Mas se um estilingue o acerta em cheio
No alvo, ele sangra que sangra baleado.
E cuida de sobreviver aos ferimentos, conserta-se.
Por si só, trata logo de se recompor,
Apesar da asa quebrada.
De sorte, ainda lhe resta uma para decolar... 
Ainda bem que traz em si um coração-moela
Que, amiúde, o ajuda a triturar as perdas.
E, outra vez alado, reaviva-se ao concerto:
Ajunta aqui e acolá os pedacinhos
E acerta o (en)canto, refeito dentro do alto.
Permanece então maravilhado
A contemplar a beleza que há
Nas coisas simples da sua Várzea,
No aguardo do eterno instante
Em que irá se deitar, de certo,
Assim como descansa o dia
No crepúsculo que se atira
No açude do Calango.

21 comentários:

  1. Agora fiquei com inveja do passarinho:) Excelente na forma melhor no conteúdo...Enfim...o costume:)

    ResponderExcluir
  2. Fabuoso poema! Cada dia escreves melhor, com a capacidade de reverdecer o espírito de quem te lê. Parabéns! Bel´ssimo texto. Bom dia!
    Jayme Neves

    ResponderExcluir
  3. Fantástoco!
    Lourdes Fátima Vaz

    ResponderExcluir
  4. Como sempre estais supimpa!
    Parabéns pelo belo poema!
    Abraços,
    Raoini Serra

    ResponderExcluir
  5. Sobreviver... ainda que com uma asa somente... é o que nos impulsiona para a vida! Belo poema! Real!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  6. Luciana S. M. Buarque19 de outubro de 2011 09:18

    E como sabes tecer um poema de um jeito livre, leve e solto... E que trazes com intensidade a precisão de letras benditas, bem alinhavadas, a contento. E como é bonito teu coração passarinheiro!
    Hiper abraço,
    Luciana Souza Meira Buarque,
    Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  7. Bem bolado, maravilhoso poema!
    Amei de paixão seu blog. Abração,
    Cátia Cerqueira Normando,
    Estudante de Medicina - UnB.

    ResponderExcluir
  8. Catherine Landau Zoster19 de outubro de 2011 09:33

    Cher poète João Ludugero,
    Je ressens une joie et le bonheur de venir ici vous lire. Votre site est magnifique, coloré, avec des textes de pure magie et de beauté. Sa poésie apporte beaucoup de charme, la couleur et le son, le script idéal pour ceux qui sont nés avec le don de poétiser la vie et tout en elle! Félicitations! Vous êtes un grand poète, le divin, j'aime vos poèmes et comment vous écrivez. Beaucoup de caresses et félicitations à vous et votre famille. Continue ainsi, avec la splendeur et la luminosité de ses propres. Vous êtes unique! Applaudissements! A plus tard,
    affectueusement,
    Catherine Landau Zoster,
    France.

    ResponderExcluir
  9. Ufa! Que texto bom....Magnífico! Fiquei viciado em vir aqui. Abraços,
    Vander Pereira Bastos,
    Vitória-ES.

    ResponderExcluir
  10. Fantastic! Fantastic!
    Nick Kowasaki Mandi,
    W., D.C.

    ResponderExcluir
  11. Caro João Poeta,
    Como disse acima a M.,: ") Excelente na forma melhor no conteúdo...Enfim...o costume:)"
    Adorei e assino embaixo.
    Dudu Proença Neves.

    ResponderExcluir
  12. Poeta Ludu, estais cada dia melhor em poetizar!
    Parabéns! Belíssimo poema! Adorei.
    Raoni Serra.

    ResponderExcluir
  13. Isso é lindo demais:
    "O ovo do pintassilgo
    Fecunda o tempo...
    O pássaro das horas
    Mergulha fundo
    No açude da memória.
    Ensaia um voo rasante
    Da velha infância à maturidade,
    Só para trocar as penas."

    Parabéns!
    Poemaço. Lindo, como sempre!
    Abraços.
    Nilo Fernandes D'Artagnan,
    Pedagogo

    ResponderExcluir
  14. Virei teu fã!
    De carteirinha. Viciei em tua poesia.
    Ludugerei! Parabéns! Seu blog está magnífico!
    Heitor Cintra Vilas-Boas,
    Médico - São Paulo/SP.

    ResponderExcluir
  15. Belíssimo seu poema!

    Destaco com louvor:

    "Ainda bem que traz
    em si um coração-moela
    Que, amiúde, o ajuda
    a triturar as perdas."

    Gerson Nogueira Bentes,
    Natal - RN.

    ResponderExcluir
  16. Caro João Ludugero;

    Grato por sua visita em meu blog. E que surpresa ler a tua literatura!

    Um abraço

    Wanderley Lucena

    ResponderExcluir
  17. Oi João, maravilhoso poema!!! Estou passando aqui também, para te convidar para dar uma passadinha no Palavras que Abraçam, ficarei muito feliz!

    Fica com Deus, tenha um ótimo dia!!! Beijos

    ResponderExcluir
  18. Caro Amigo Wanderley,
    Boa tarde!
    Navegando na blogosfera encontrei teu blog.
    Te reconheci pelas fotografias, mas achei primeiramente teu nome. Fiquei feliz ao te ler. E cuidei de logo "persegui-lo".
    Obrigado pelos primorosos coments. Volte sempre que puder, a casa é sua!
    Sempre estou postando novos textos.
    Deixe por aqui seus comentários. É muito gratificante tê-lo por perto, seguindo-me.
    Sempre que for possível também irei ao teu site. Que bom que gostou da minha literatura. Em breve, editarei meu livro.
    Parabéns, andei lendo seus textos e muito me fascinou seu jeito de escrever, simples, leve e solto. Gostei, de verdade.
    Continue a soltar sua verve poética.
    És sensacional! Mega abraço.
    João Ludugero,
    Seu Amigo e poeta, eterno aprendiz de,

    ResponderExcluir
  19. Querida Eliana,
    Boa tarde!
    Obrigado pela sua visita. Apareça mesmo que o sol não apareça. Venha sempre, pois sua presença ilumina. Tenhas um ótimo final de semana! Beijos. Seu Amigo João Ludugero.
    Até logo!

    ResponderExcluir
  20. Caro Amigo Wanderley,
    De novo, uma ótima tarde!
    Li seu texto e deixei o seguinte comentário:

    Faz tempo que aprendi a voar, sem tirar os pés do chão! Eu vou andar e voo. Já fui alvo de estilingues, mas curei as feridas... Juntei as pedras que me foram atiradas e, uma a uma, construí a minha torre. E ela, a vida-Rapunzel, me lança suas tranças sempre que careço chegar ao cimo. E é lá que me restauro, reverdeço, troco as penas e me atiro num voo rasante, firme, dentro do alto, sem medo de beber meus horizontes. Adorei seu poema! Tu tens o condão de chegar à torre, porque, mesmo se quebrada uma asa, ainda assim, trazes um alado coração que te catapulta ao alto, sem receio do porvir.
    Me empolguei...
    Abraços,
    João Ludugero.
    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  21. CARO JOÃO;

    Hoje, dia 21.10.2011, na página 21 do Diário Oficial, publicou-se que WANDERLEY LUCENA DE OLIVEIRA é o mais recente aposentado do país.

    Feliz por seu comentário no meu blog, peço desculpas pelo plágio à sua postagem. Li e a plagiei na minha poesia em comentário no blog de uma amiga e, gostei tanto que decidi transformar numa poesia, como se poeta eu o fora.

    Ano que vem quero, também, publicar o meu primeiro livro. Uma coletânea da minhas crônicas, contos e - veja só - poesias.

    Abraço

    Lucena

    ResponderExcluir