Seguidores

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

PELAS TRILHAS VARZEANAS - CABRA DA VÁRZEA, DONO DO MUNDO



Meninos varzeanos brincando de cavalo-de-pau na Vargem - Várzea RN
Se a minha vida ali foi boa?
Desde menino travesso 
dela não sei reclamar
não reclamo da minha sina,
nem do improvisar com ossos 
o meu gado no curral
nem dos cavalos de pau,
nenhum bocadinho que seja,
 nem pudera,  porque fui feliz,
muito além do faz-de-conta.
Ainda moleque era solto na capoeira,
passava sebo nas canelas e,
pernas pra que as quero!
 Junto com a passarinhada,
seguia as veredas desde cedo, 
pelas margens do rio Joca
encantado, achava-me coqueiral afora.
Percorrendo a nua Vargem,
conheci ao largo o Vapor, suas lendas,
Seixos adentro, poeira, pó  
e os semi-áridos caminhos 
do agreste verde
que sempre levam 
à Nova Esperança.
Senti o cheiro do mato 
do Capim Grosso, contente
mergulhei no Retiro de seu Olival.
No riacho do mel  
fui apanhador 
de algodão 
de fibras finas
e adociquei coalhadas
com mel-de-europa.
A partir do meu chão,
ganhei o mundo.

12 comentários:

  1. MUITO BELHO O SEU POEMA CHEIO DE IMAGEM.. E COM UM GRAN FINAL

    P.D. EL PRÓXIMO 31 DE OCTUBRE TE ESPERO EN 'EL HECHIZO'
    ;)

    ResponderExcluir
  2. Mais um pouco do mundo que em ti é sempre maior que o planeta:)

    ResponderExcluir
  3. Origens e raízes só nos fazem bem à alma e ao coração! Abraço pelo belo poema! Célia.

    ResponderExcluir
  4. Renato Baptista disse:

    O bucolismo te domina amigo...
    aprecio muito poemas
    que são inspirados dessa forma.

    Abraços,
    Renato Baptista,
    da Casa da Poesia

    ResponderExcluir
  5. Beatriz Prestes,
    da Casa da Poesia, disse:

    Maravilhosa a conquista
    que sempre começa em tenra idade...
    com pés no chão,
    desbravando o mundo!!
    Belíssimo!!!
    Muito mesmo!
    Bea

    ResponderExcluir
  6. Passo prá dizer olá e divulgar trabalho da minha nora: www.buchholz.com.br
    E teu poema me fez lembrar que brinquei com crianças de acampamento cigano no campo(no tempo das carretas com tração animal)e meu filhos construíram casa na árvore.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Que maravilha, que beleza que há em sua poesia!
    És um ser humano de primeira grandeza, és estelar, divino, estupendo de bom com tuas letras benditas! Destaco, extasiado, um trecho que gostei muito:
    "Se a minha vida ali foi boa?
    Desde menino travesso
    dela não sei reclamar
    não reclamo da minha sina,
    nem do improvisar com ossos
    o meu gado no curral
    nem dos cavalos de pau,
    nenhum bocadinho que seja,
    nem pudera, porque fui feliz,
    muito além do faz-de-conta."

    Parabéns!
    És único!
    Abraço.
    Germano Antunes Nogueira Alencastro,
    Psicanalista - Goiânia/GO.

    ResponderExcluir
  8. Fantástico!
    Fantástico, simples
    e tão maravilhoso
    com suas letras
    de belo poetizar!
    Bom final de semana!
    Até mais!
    Raoni Serra.

    ResponderExcluir
  9. Gosto de teus textos sempre cativantes, intensos, leves, livres, soltos, magnânimes!
    Tu és mesmo um grande poeta, acredite. Gosto de ti, da tua poesia, do teu blog iluminado.
    Carinhosamente,
    Pedro Tacques Mello de Miranda.
    Já te sigo, com alegria.

    ResponderExcluir
  10. Beleza, beleza tu tens de sobra - tá aí, para todo mundo ler e ver! parabéns! És muito abençoado. Tudo de bom. Te adoro!
    Vânia Benilde Ventura,
    Professora.

    ResponderExcluir
  11. Magnífico poema, grande poeta João Ludugero!
    Que alegria é poder vir aqui e ler teus textos que nos fazem viajar, com roteiros bem delineados e um passaporte bem carimbado com teu poetizar notal dez! Sucesso cada vez mais, ó poeta digno de assim ser chamado. Bom final de semana! Até logo!
    Mayra Vilela Moura Brandão,
    Aracaju - SE.

    ResponderExcluir
  12. Andrés Blanco Ferrajoli Mendonça28 de outubro de 2011 14:15

    Poeta Joao Ludugero,
    Cuánta alegría y la luz en sus versos!
    Cuánta pasión y el amor en sus letras ...

    Me gustó encontrar tu blog y de venir aquí me da un enorme placer, tengo el placer de ser capaz de leer y saber que estas criaturas pueden existir! Eres único! Niño grande poeta iluminado! Felicitaciones, ahora todos los días por venir. Muchas alegrías y felicidad duradera!
    Lo más destacado de su poema, que he traducido, me lo permite:

    "Si mi vida fue buena no?
    Desde niño travieso
    Sé que no se queja
    no te quejes de mi destino,
    o improvisar con los huesos
    mi ganado en el corral
    o los caballos de madera
    ni un poco, es decir,
    No es de extrañar, ya que estaba feliz,
    más allá de la fantasía. "

    Demasiado fantástico! Muy, muy bueno. Eres un dios!
    Saludos,
    Andrés Blanco Ferrajoli Mendonca, escritor y poeta,
    residente en Oviedo - España.
    Atrás, a la derecha, para apreciar su poesía bendito!

    ResponderExcluir